domingo, 11 de dezembro de 2016

Desistir

Talvez não o saibas ou talvez sim, mas desistir de ti é, ao mesmo tempo, demasiado fácil e demasiado difícil. Querer sem garantia de reciprocidade, seja amor ou amizade, é um caminho de destino incerto.
Hoje em dia desiste-se muito facilmente de tudo ao menor dos obstáculos, desistimos dos nossos sonhos simplesmente porque temos que lutar por eles e não nos são entregues numa bandeja. Desiste-se porque se tem que trabalhar e dedicar tempo para criar, erguer e fortalecer relações. Por isso, é muito fácil desistir quando é, talvez, o que mais se faz todos os dias.
Seria muito fácil se tivesse em conta o tempo que já passou, o tempo em que te mantiveste presa nessa tua carapaça, nesse teu mundo em que me parece que não arriscas a sofrer, mas também não arriscas a viver.
Seria muito fácil se seguisse os meus receios, as minhas dúvidas e as minhas inseguranças.
Seria muito fácil se seguisse os avisos amigos, que por serem amigos vêm de pessoas que me conhecem muito bem e para mim querem o melhor.
Há, porém, um pequeno (grande) senão, eles não sentem o que eu sinto por ti.
Nunca me habituei a desistir, por muito difícil e incerto que seja o momento, daquilo que mais quero. Não desisti de ser karateca, mesmo quando as forças fraquejavam. Não desisti de querer ser e de ser enfermeiro quando parecia que se erguiam muros à minha frente. Não desisti nunca de ser quem sou e como sou, mesmo sentindo-me deslocado num mundo de escassos valores e princípios. Por isso…
Seria muito difícil desistir da Mulher que é o latejar do meu coração.
Seria muito difícil desistir da Mulher que é o motivo do meu sorriso.
Seria muito difícil desistir da Mulher cuja voz é o canto de sereia que me inebria os sentidos.
Seria muito difícil desistir da Mulher cuja visão são raios de felicidade que invadem os meus olhos.
Seria muito difícil desistir da Mulher que se delicia com os mais pequenos, numa doçura e num carinho apaixonantes.
Seria muito difícil desistir da rara Mulher que tem sonhos a colidir com os meus.
Seria muito difícil desistir da Mulher que domina o pensamento do meu acordar e do meu deitar.

Eu já tentei, uma tentativa que baqueava de cada vez que te via, de cada vez que te ouvia, de cada vez que te sentia. Eu já tentei e criei, sem saber, um vazio que me tolhia. Eu juro, já tentei, mas fraquejei porque, sinceramente, não sei desistir de ti.






Sem comentários:

Enviar um comentário